CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Tipos de drogas

Artigo por Colunista Portal - Educação - segunda-feira, 25 de março de 2013

Tamanho do texto: A A

As drogas são tão cobiçadas que passam a ter sentido de valor
As drogas são tão cobiçadas que passam a ter sentido de valor
Conforme Hockenbury (2003), as drogas psicoativas são substâncias químicas que podem alterar a estimulação, o humor, o pensamento, a sensação e a percepção. Podem ser agrupadas em quatro categorias tais como:
• Depressores: drogas que funcionam como sedativos ou inibidores da atividade cerebral.
• Opiáceos: drogas que são quimicamente semelhantes à morfina, reduzem a dor e produzem euforia.
• Estimulantes: drogas que estimulam ou excitam a atividade cerebral.
• Alucinógenos: drogas que produzem distorções nas percepções sensoriais.

A droga como causa do gozo

O gozo deixa de ter sentido quando a destruição vai além do organismo. Quando a sedução a droga já não é a mesma, o sujeito perde a liberdade e vira escravo do seu próprio vício (Grifo da autora).

Na opinião de Almeida (2007), a droga aparece justamente como uma tentativa de encobrir uma falta.

Ao se drogar, o sujeito já está imerso num discurso adoecido, em que a vida é uma droga, em que o gozo é primordial e pelo qual o sujeito rompe quaisquer laços afetivos. Seu afeto, por dizer, está no gozo, na ilusória sensação de completude que a droga pode vir a propiciar. Em condição, o fazer se sobrepõe ao dizer e o corpo é o ponto por onde flui esse fazer (ALMEIDA, 2008, p.1).

Para o indivíduo, o prazer do uso da droga supera qualquer outro prazer da vida. O jovem se ver num discurso empobrecido, fragmentado e doentio, onde a aprovação do grupo é o que prevalece. É comum ver o jovem participar de rituais de gangs como: experimentar drogas ou praticar atos de vandalismo para se sentir aceito no grupo.

As drogas são tão cobiçadas que passam a ter sentido de valor. O jovem substituí uma produção de sentido por outra, ou seja, substituí os prazeres da vida pelo gozo da droga. A droga torna-se um refúgio de prazer para o jovem. No entanto, a sensação de gozo vai diminuindo com o tempo. Para encobrir esta falta, o jovem busca substâncias mais fortes, mesmo os efeitos não sendo tão prazerosos.

Outro fator que pode induzir ao jovem ao uso da droga é a incapacidade de lidar com as frustrações. Principalmente, aqueles que sempre tiveram tudo e nunca passaram por frustrações ou perdas significativas, acabam recorrendo às drogas. A justificativa para o seu uso é encobrir a sensação de vazio e desespero. No entanto, as drogas não resolvem nada, pelo contrário, quando passam os seus efeitos, o conflito continua ali enraizado.

Como é vista a toxicomania na psicanálise lacaniana?

“Uma das soluções para evitar o infortúnio da relação com o outro é o método de intoxicação. Ou seja, a escolha de uma substância como objeto, a partir do qual se evitaria toda problemática da relação” (FREUD, 1930, p.86).
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.