CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Garantia e Controle da Qualidade

Artigo por Colunista Portal - Educação - segunda-feira, 23 de julho de 2012

Tamanho do texto: A A

Controle de qualidade é um sistema de proteção
Controle de qualidade é um sistema de proteção
O controle de qualidade dos alimentos tem como principal objetivo garantir que todo alimento produzido e oferecido ao mercado consumidor possua condições de oferecer a qualidade e desempenho necessários a todos os clientes. As atividades do controle de qualidade, ao serem implantadas, permitem as descobertas de falhas no decorrer do processo e, assim, indicam mudanças que possam melhorar a qualidade dos produtos, passando a servir como medida de segurança, sendo um dos fatores primordiais para a implantação das Boas Práticas de Fabricação (BPF).

Esse processo deve abranger a matéria-prima, o controle do processamento, a composição centesimal do produto, os custos e do ambiente de trabalho. O prestígio do produto alimentício se firma pelas qualidades que apresenta, por seu aspecto, pela idoneidade de seu fabricante e, sobretudo, pela uniformidade de seu padrão (EVANGELISTA, 2001). O controle de qualidade é um sistema de proteção ao produtor e ao consumidor, pois seu principal objetivo é o de assegurar ao industrial a fabricação de alimentos de excelente padrão e de propiciar ao consumidor produtos em condições de cumprir sua finalidade de alimentar e nutrir (EVANGELISTA, 1987).

Embora a qualidade do alimento consumido envolva diferentes fatores, geralmente este termo se refere à presença ou ausência de contaminantes, sejam eles de ordem microbiológica ou química. Segundo Albert 1977, o critério primordial de avaliação do alimento é a qualidade visual, ou seja, a aparência do produto. Como segundo critério de qualidade tem-se a organoléptica (gosto, odor, textura, cor) e a segurança (higiene do produto, qualidade da embalagem, rotulagem, orientação ao consumidor, durabilidade do produto).

O controle de qualidade dos alimentos tem sofrido profundas modificações nestes últimos anos para melhoria da qualidade nutricional e para a garantia higiênico-sanitária não só dos produtos industrializados como para alimentos prontos para o consumo. A legislação atual está mais atuante e completa. Em 1993 foi publicada a Portaria 1.428 do Ministério da Saúde, cujo conteúdo é muito importante para direcionar as ações da Vigilância Sanitária e as necessidades básicas para os estabelecimentos de alimentação, obrigando a elaboração do Manual de Boas Práticas e a existência do Responsável Técnico. Em 1997, a Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde publicou a Portaria 326, definindo os procedimentos técnicos básicos sobre o Manual de Boas Práticas.

O manual de boas práticas de manipulação deve ser conhecido e aplicado por todas as pessoas que trabalham na produção e distribuição de alimentos. Todos esses cuidados são importantes para evitar que o consumidor adquira uma doença transmitida por alimento, que gera transtornos sociais e financeiros e, principalmente, para diminuir o desperdício de alimentos, produtos químicos e tempo, aumentando, consequentemente, a lucratividade.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.