artigo

sábado, 11 de agosto de 2012 - 16:46

Tamanho do texto: A A

Efeitos de Protocolos Hidroterápicos na Melhora do Equilibrio Corporal

por: Alexandre do Prado Caldas Serafim

Protocolos Hidroterápicos na Melhora do Equilibrio Corporal
Protocolos Hidroterápicos na Melhora do Equilibrio Corporal
Em um programa de treinamento em meio aquático ROSA G.K.B. et al (2008) utilizando uma criança de 10 anos com paralisia ataxia durante um período de 2 meses com terapia de 45 minutos com regularidade de 2 vezes por semana os resultados demonstraram que a criança avançou 12 meses na idade motora, não apresentando alterações proporcionais nas outras áreas motoras. Contudo JACQUES K.C. et al (2010) realizaram revisão sistemática na literatura nas bases de dados bibliográficos: LILACS; MEDLINE; SciELO; Biblioteca Cochrane e busca ativa em periódicos nacionais e internacionais com o intuito de se saber a eficácia da hidroterapia no tratamento da encefalopatia crônica da infância. De acordo com os autores houve limitada evidência dos efeitos da abordagem hidro terapêutica nessa população que contraria o achado dos autores anteriores. NÚBIA C.PA. (2010) realizou estudo clínico aleatório, em que as variáveis utilizadas foram avaliadas antes e após o programa de treinamento entre 36 idosos por meio de quatro testes: Escala de Equilíbrio de Berg, Dynamic Gait Index, velocidade da marcha, em seguida houve a alocação dos voluntários em três grupos: grupo de exercício na piscina terapêutica, grupo de exercício no solo e grupo controle.

Os grupos de exercícios foram submetidos a um programa de resistência muscular dos membros inferiores aplicado durante seis semanas, duas sessões semanais com 40 minutos de duração. Os voluntários foram reavaliados após seis semanas. Os dados demonstraram que o programa de resistência muscular dos membros inferiores promoveu aumento significativo do equilíbrio dos idosos (p<0,05) nos testes avaliados após o programa de treinamento. De forma que os autores afirmam que o programa de resistência muscular proporcionou uma melhora significativa no equilíbrio estático e dinâmico de idosos comunitários, de maneira que se pode inferir também que essa melhora ocorreu independentemente do meio em que o programa foi realizado, ou seja, se dentro ou fora d'água.

Demonstrando a reprodutividade do estudo realizado por Resende SM; Rassi CM; Viana FP (2008) que em estudo com 25 idosos, mas realizando protocolo de exercícios aquáticos para equilíbrio dinâmico e estático demonstrou que o programa aquático para equilíbrio aumentou o equilíbrio e reduziu o risco de quedas nas idosas. Que entra em perfeita consonância com os estudos realizados por BRUNI B.M; GRANADO F.B; PRADO R.A (2008) e DEVEREAUX et al (2005) que demonstraram que a hidroterapia tem um papel importante na melhora do equilíbrio e funcionalidade dos idosos. Já na proposição de que a hidroterapia tem eficácia não somente no equilíbrio, mas também na manutenção da marcha e na qualidade vida ARCANJO T.B. [200] demonstrou em estudo de caso com um paciente com ELA, que a hidroterapia de forma geral apresentou resultados satisfatórios, já que a doença é de rápida progressão. Em suma tudo isto demonstra que o segmento da Fisioterapia chamado: hidroterapia ainda tem muito a crescer e muitas pesquisas controladas precisam ser realizadas.


Referências:
ARCANJO, TP. RODRIGUES, EC. CONCEIÇÃO, ECG. CUNHA, M.C.B. Benefícios da piscina terapêutica para manutenção da marcha e do equilíbrio na esclerose lateral amiotrófica: estudo de caso. BRUNI, B. M. GRANADO, F. B. PRADO, R. A. Avaliação do equilíbrio postural em idosos praticantes de hidroterapia em grupo. 2008. JACQUES K.C. et al. Eficácia da hidroterapia em crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância: revisão sistemática. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 23, n. 1, p. 53-61, jan./mar. 2010 ROSA G.K.B. et al. Desenvolvimento motor de criança com paralisia cerebral: avaliação e intervenção. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, Mai.-Ago. 2008, v.14, n.2, p.163-176 NÚBIA C.P.A. et al. Efetividade do treinamento de resistência à fadiga dos músculos dos membros inferiores dentro e fora d'água no equilíbrio estático e dinâmico de idosos. Rev Bras Fisioter, São Carlos, v. 14, n. 3, p. 229-36, maio/jun. 2010. RESENDE, S.M. RASSI, C.M. VIANA, F.P. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. 2007. DEVEREAUX K. et al Effects of a water-based program on women 65 years and over: A randomised controlled trial. Australian Journal of Physiotherapy 2005 Vol. 51
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Alexandre do Prado Caldas Serafim

Especialista em Metodologia do Ensino na Educação Superior e em Fisioterapia Cardiorrespiratória. Licenciatura em Ciências Biológicas (2012-2014).Licenciatura em Ciências pela USP (2014-2018) Professor de Educação Básica no Ciclo II do Ensino fundamental e Ensino Médio.

Fisioterapia