CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Qual a diferença entre remédio e medicamento?

Artigo por Levi Vargas Júnior - domingo, 21 de outubro de 2012

Tamanho do texto: A A

No dia a dia, é muito comum notar pessoas ou meios de comunicação utilizando a palavra remédio como sinônimo de medicamento. No entanto, elas não significam a mesma coisa.

A ideia de remédio está associada a todo e qualquer tipo de cuidado utilizado para curar ou aliviar doenças, sintomas, desconforto e mal-estar.

Alguns exemplos de remédio são: banho quente ou massagem para diminuir as tensões; chazinho caseiro e repouso em caso de resfriado; hábitos alimentares saudáveis e prática de atividades físicas para evitar o desenvolvimento de doenças crônicas nãotransmissíveis; medicamentos para curar doenças, entre outros.

Já os medicamentos são substâncias ou preparações elaboradas em farmácias (medicamentos manipulados) ou indústrias (medicamentos industriais), que devem seguir determinações legais de segurança, eficácia e qualidade.

Assim, um preparado caseiro com plantas medicinais pode ser um remédio, mas ainda não é um medicamento; para isso, deve atender uma série de exigências do Ministério da Saúde, visando garantir a segurança dos consumidores.

“Todo medicamento é um remédio, mas nem todo remédio é um medicamento.”

Referência:
BRASIL. O que devemos saber sobre medicamentos?. Cartilha da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). São Paulo: 2010, 104p.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Levi Vargas Júnior

Bacharel em Administração - Análise de Sistemas pela FAVI-ES (2005); Bacharel em Teologia pela FATEFÉ-SP (2009); Licenciatura em Filosofia pela PHÊNIX-GO (2011); Licenciando em Letras - Português-Inglês pela UNISEB-SP (2013). Consultor acadêmico - desde 2005; escritor e pesquisador independente.