CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Montagem da Sala Cirúrgica

Artigo por Colunista Portal - Educação - quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Tamanho do texto: A A

Checar o nome do paciente, sua idade, horário agendado da cirurgia
Checar o nome do paciente, sua idade, horário agendado da cirurgia
A equipe de enfermagem é responsável pela montagem da sala cirúrgica, para que o procedimento cirúrgico possa ocorrer com segurança e tranquilidade, priorizando a saúde do paciente.

É preciso prever os materiais, instrumentais e equipamentos indispensáveis para a realização do procedimento cirúrgico-anestésico e prover a sala cirúrgica de todo esses itens necessários.

São recomendações importantes que o profissional deve estar atendo antes de iniciar a montagem da sala cirúrgica:
Verificar no mapa cirúrgico a cirurgia que será realizada;
Checar o nome do paciente, sua idade, horário agendado da cirurgia, equipe cirúrgica e anestésica responsável e observações importantes sobre o procedimento cirúrgico;
Verificar se os equipamentos e materiais específicos solicitados, bem como os de rotina, necessários para realizar o procedimento cirúrgico;
Lavar as mãos;
Verificar as condições de limpeza da sala cirúrgica antes de equipá-la com materiais e equipamentos;
Testar o funcionamento dos equipamentos da sala cirúrgica;
Verificar se a mesa cirúrgica oferece a possibilidade de manter o paciente na posição cirúrgica apropriada para a realização do procedimento cirúrgico;
Verificar a existência de equipamentos acessórios como bancos, suporte de soro, braçadeiras, arco, mesas para instrumentais, hampers e extensões elétricas;
Solicitar ou buscar os artigos médicos esterilizados específicos que serão utilizados na cirurgia;
O circulante e também o instrumentador cirúrgico devem verificar a integridade dos pacotes cirúrgicos;
Organizar os medicamentos e materiais descartáveis, sempre observando a validade da esterilização e a integridade das embalagens;
Prover a sala cirúrgica de diversos artigos para auxiliar a equipe cirúrgica, tais como talas, ataduras, soluções, adesivos e fitas adesivas;
Abastecer a sala com impressos utilizados para registrar a cirurgia;
Verificar e montar o carro de anestesia;
Dispor em mesas auxiliares os artigos que serão utilizados pelo anestesista.

Circulação na Sala Cirúrgica
A circulação da sala cirúrgica é o procedimento desenvolvido pela equipe de enfermagem, durante todo o procedimento cirúrgico, com o objetivo de garantir condições funcionais e técnicas para o adequado andamento do procedimento cirúrgico, oferecendo segurança ao paciente.

Esta atividade é responsabilidade da equipe de enfermagem podendo ser realizada pelo enfermeiro, pelo técnico ou pelo auxiliar de enfermagem. Geralmente o enfermeiro responsável pelo centro cirúrgico é quem designa o profissional responsável por montar e circular a sala cirúrgica.

O instrumentador pode auxiliar nesta montagem, pois conhece os materiais e equipamentos utilizados pela sua equipe cirúrgica, agilizando e prevendo as necessidades de cada procedimento cirúrgico.

São recomendações importantes para o circulante da sala cirúrgica:
Lavar as mãos;
Receber o paciente, apresentar-se e conferir sua identificação com o seu prontuário;
Conferir os exames realizados pelo paciente;
Realizar a monitorização do paciente;
Auxiliar o médico anestesista na indução anestésica;
Auxiliar a equipe cirúrgica a paramentar-se;
Ligar os equipamentos cirúrgicos;
Posicionar o foco cirúrgico;
Aproximar o hamper próximo a equipe cirúrgica;
Realizar a contagem do número de compressas utilizadas nos procedimentos cirúrgicos com abertura da cavidade abdominal;
Manter a sala cirúrgica em ordem;
Estar atento as solicitações da equipe cirúrgica;
Encaminhar o paciente para a sala de recuperação pós-anestésica;
Reorganizar a sala cirúrgica.

Desmontagem da Sala Cirúrgica
A desmontagem da sala cirúrgica é responsabilidade da equipe de enfermagem e se resume a remover os materiais, equipamentos e artigos utilizados na cirurgia e encaminhá-los ao expurgo.

O instrumentador cirúrgico é responsável por retirar os materiais e equipamentos da sua equipe cirúrgica e encaminhá-los para higienização. É importante ressaltar que o instrumentador cirúrgico não deve levar os instrumentais sujos com matéria orgânica para ser limpo em sua casa, ele deve realizar esta higienização no próprio hospital.

Lavar as mãos;
Calçar luvas de procedimentos, colocar os óculos de proteção e manter a máscara facial;
Reunir os campos e instrumentais cirúrgicos não utilizados;
Descartar os materiais perfurocortantes em recipientes próprios;
Reunir e retirar os instrumentais da mesa;
Separar os materiais que foram utilizados pelo anestesiologista;
Retirar as luvas de procedimento;
Informar aos profissionais do serviço de limpeza para limparem a sala cirúrgica.

Equipamentos da Sala Cirúrgica
Bisturi Elétrico

É um equipamento cirúrgico que transforma a corrente elétrica alternada de baixa frequência em corrente elétrica de alta frequência. Sua função é coagular, dissecar e fulgurar.

A coagulação refere-se à oclusão ou fechamento dos vasos sanguíneos por meio da solidificação das substâncias proteicas e de retração os tecidos.

A dissecação é a secção dos tecidos pela dissolução da estrutura molecular e celular, desidratando e fundindo as células próximas ao eletrodo positivo.

A fulguração é a coagulação superficial, indicada para eliminar pequenas proliferações celulares cutâneas e remover manchas.

Bisturi Bipolar
Este equipamento consiste em unidades eletrocirúrgicas bipolares, usadas com o objetivo de coagulação.
Com o bisturi bipolar é permitido à coagulação bipolar, ou seja, a hemostasia de vasos sanguíneos da maioria dos tamanhos.

Bisturi Harmônico
O bisturi harmônico Ultrasicion utiliza-se a energia elétrica para acionar o sistema de corte e coagulação de tecidos moles, mas sem difundir essa corrente elétrica para o corpo do paciente.

A potência do corte pode ser ajustada durante o procedimento cirúrgico, podendo essa potência ser aumentada ou diminuída, tanto para o corte ou para coagulação.

Bisturi de Argônio
Esse equipamento usa um feixe de gás de argônio ionizado, o plasma de argônio, que passa conduzir a corrente elétrica. A fulguração produz faíscas que atingem o tecido, formando túneis internos. A eficiência da coagulação, quando comparamos com o eletrocautério, deve-se ao fluxo contínuo de faíscas e não a ação do gás.

Aspirador Cirúrgico
Equipamento de apoio, utilizado na absorção de sangue e fluídos corporais durante o procedimento cirúrgico, sendo utilizado tanto no procedimento cirúrgico como na aspiração de secreções orais e traqueais realizada pelos anestesistas.

Foco Cirúrgico de Teto
É um equipamento instalado no teto da sala operatória com a finalidade de iluminar o campo operatório e melhorar a visualização do médico cirurgião. Ele pode ter uma ou duas cúpulas, cada uma com diversos bulbos.

Foco Cirúrgico Portátil
Tem a mesma função do foco cirúrgico de teto, porém sua potência é menor. Sua principal função é servir como um foco auxiliar ou ser utilizado em pequenos procedimentos realizados fora do centro cirúrgico como, por exemplo, no centro de terapia intensiva, hemodinâmica e unidade coronariana.

Aparelho de Anestesia
Equipamento utilizado para suprir uma mistura de gases anestésicos e promover a sustentação da vida do indivíduo anestesiado com segurança. Esse sistema não somente libera os gases anestésicos, vapores e oxigênio, como também provê o período transoperatório de um número de monitorizações básicas, realizando ainda a ventilação mecânica do paciente.

Mesa Cirúrgica
É um equipamento destinado a acomodar o paciente durante o procedimento cirúrgico. Possui diversos acessórios para ser utilizado em diversos tipos de procedimentos cirúrgicos. Pode ser elétrica ou manual.

Bomba de Infusão
Equipamento destinado a infusão de drogas, controlando sua vazão, tempo e quantidade de líquido infundido. Deve ser utilizada principalmente para drogas vasoativas.

Desfibrilador Cardíaco
É um equipamento destinado a realização da desfibrilação os cardioversão do coração. Pode ser utilizado em cirurgias específicas como, por exemplo, na cirurgia cardíaca ou em intercorrências durante o procedimento cirúrgico.

Monitor Multiparamétrico
É um equipamento destinado a monitorização de pacientes com a apresentação dos seguintes parâmetros:

Oximetria de pulso; Eletrocardiograma contínuo; Pressão arterial não invasiva; Pressão arterial invasiva; Pressão arterial média; Frequência cardíaca; Capnografia; Frequência respiratória; Temperatura; Pressão intracraniana.

Equipamentos de Videocirurgia
São os equipamentos destinados a realização de cirurgias por vídeo, como videocolecistectomia, videoapendicectomia, dentre outras. Citaremos abaixo os principais equipamentos destinados a este tipo de procedimento cirúrgico.

Fonte de Luz
É um equipamento que gera e fornece luminosidade necessária para a visualização do campo de trabalho do médico cirurgião, sendo utilizada em endoscópios rígidos ou flexíveis.

Câmeras de vídeo
As micro câmeras como são chamadas são equipamentos de vídeo de alta definição, com dimensões reduzidas, que são utilizadas para tornar visíveis as imagens de um procedimento endoscópico por meio de um monitor.

É possível com esse equipamento gravar o procedimento cirúrgico em foto e vídeo, podendo disponibilizá-lo em CD ou DVD.

Insufladores
Este equipamento promove a distensão da região na qual o procedimento cirúrgico será realizado. Essa distensão pode ser realizada pelo gás, ou também por líquidos como manitol, glicina ou soros. O método mais comumente utilizado pelo gás dióxido de carbono.

Pneumoperitônio
O pneumoperitônio é a presença de ar ou gás na cavidade peritoneal. As cirurgias videolaparoscópicas exigem a insuflação de dióxido de carbono por meio da agulha de Verres com a finalidade de facilitar a visualização dos órgãos abdominais e com isso proporcionar uma maior segurança à cirurgia.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.