artigo

quinta-feira, 29 de março de 2012 - 16:34

Tamanho do texto: A A

Morfina - Efeitos colaterais

por: Ronaldo de Jesus Costa

Morfina - Efeitos colaterais
Morfina - Efeitos colaterais
A morfina apresenta diversos efeitos colaterais, e nesse ponto, convém destacar que efeito colateral é inerente à própria ação farmacológica do medicamento, uma consequência secundária ao efeito principal, o efeito esperado.

Assim, nesse caso da morfina, os efeitos colaterais dependem do mecanismo de ação, e para compreender esses efeitos, é preciso compreender o mecanismo de ação: A morfina inibe a passagem do estímulo nervoso, hiperpolarizando as membranas celulares. Isso está relacionado ao aumento da saída de potássio ou a diminuição da entrada de cálcio das terminações sinápticas e uma menor liberação de neurotransmissores excitatórios na fenda sináptica.

Como a morfina é capas de interagir com vários tipos de receptores, e cada tipo apresenta efeitos diferenciados, O efeito farmacológicos da morfina, e efeitos colaterais dependem do tipo de receptor envolvido.

Assim, temos:
Receptores Opioides
a) mu) Responsável pela maioria dos efeitos analgésicos (supraespinhal, espinhal e periférica).  Responsável por alguns efeitos indesejáveis:
Depressão respiratória.
Constrição pupilar.
Motilidade do TGI reduzida.
Euforia. o Sedação.
Dependência Física.

b) delta) Importantes na periferia. Contribuem também para a analgesia (espinhal). 
Efeitos colaterais:
Depressão respiratória.
Motilidade do TGI reduzida.

c) (kappa) Analgesia ao nível espinhal e periférica.
Efeitos colaterais:
Motilidade do TGI reduzida.
Disforia.
Sedação.
Não contribuem para a dependência.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Ronaldo de Jesus Costa

Farmacêutico e Bioquímico Especialização em Farmacologia Mestre em Genética e Biologia Molecular Tutor de Ensino a Distância - Portal Educação

Farmácia