CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Função da (CCIH) Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Artigo por Colunista Portal - Educação - terça-feira, 27 de maio de 2008

Tamanho do texto: A A

Cerca de 80% dos profissionais já sofreram algum tipo de acidente com material biológico
Cerca de 80% dos profissionais já sofreram algum tipo de acidente com material biológico
Ilza Cilene Mota Constantino
ilzamota@hotmail.com


Introdução – A CCIH surgiu na década de 1970 com a preocupação em se conhecer os índices de infecções nos hospitais, e tem como principal responsabilidade, a implantação de ações de biossegurança, que corresponde à adoção de normas e procedimentos seguros e adequados à manutenção da saúde dos pacientes, dos profissionais e dos visitantes. O uso de tais medidas pressupõe que todos os profissionais podem ser potencialmente infectados com patógenos, e os acidentes com materiais pérfurocortantes é considerada uma urgência médica, sendo indicado o atendimento o mais precoce possível, embora alguns profissionais deem pouca importância a esse fato pelo motivo de achar em que não irá causar danos para a saúde.

Objetivo – Reconhecer como a aplicação de um conjunto de conhecimentos, procedimentos, técnicas e equipamentos podem ser usados com intuito de não expor desnecessariamente o profissional da área da saúde.

Revisão de Literatura – No Brasil, de acordo com dados publicados em anais de congressos, o cenário dos acidentes ocupacionais envolvendo material biológico é semelhante aos observados em outros países, quando comparamos a incidência de acidentes e de subnotificação (Destra, 2002). Estes dados demonstram a importância da criação de um “ambiente de trabalho seguro” e a atuação da CCIH foi apontada como decisiva na redução do número de acidentes com material biológico (Brasil, 2002).

Material e Método –
Foram analisados artigos científicos na base de da dos B.V.S. (Biblioteca Virtual em Saúde), de 2002 à 2005, bem como outras fontes bibliográficas de respectivo valor científico.

Resultados – Vale salientar que, resultados encontrados por Tavares (2004) revelaram que 80% dos profissionais já sofreram algum tipo de acidente com material biológico durante o exercício da profissão e jamais receberam tratamento ou orientações, além de desconhecerem a notificação de seus acidentes. Binder & Cordeiro (2003) realizaram um estudo sobre a subnotificação dos acidentes de trabalho no Estado de São Paulo e os resultados mostraram que 51,4% dos acidentes foram notificados.

Conclusão – Somente através de uma equipe de saúde intensivamente educada, treinada e cobrada quanto às recomendações de precauções universais é que será possível a prevenção das infecções hospitalares, sendo necessário que, todos os profissionais aceitem, respeitem e cumpram todas as normas estabelecidas pela CCIH.


REFERÊNCIAS:

BINDER, M.C.P. CORDEIRO, R. Sub-registro de Acidentes de Trabalho em localidade do Estado de São Paulo, 1997. Ver. Saúde Pública. V.37 n.4, p.409-416, 2003.

BRASIL, P. et al. Atuação da CCIH contribuindo para a diminuição do número de acidentes com material biológico em um hospital geral da rede federal Anais ABIH, 2002.

DESTRA, A.S. et al. Avaliação da subnotificação de acidentes profissionais com material biológico em um hospital universitário – Fase III Anais ABIH, 2002.

TAVARES, W.A. Experiências e condutas de profissionais da equipe de enfermagem frente a acidentes ocupacionais com exposição a material biológico no Hospital Municipal de Sumidouro. Teresópolis (RJ): Fundação Educacional Serra dos Órgãos; 2004.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.