artigo

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 - 17:04

Tamanho do texto: A A

Cuidados de enfermagem com cateteres periféricos e centrais

por: Colunista Portal - Educação

Existem muitos tipos de cateteres
Existem muitos tipos de cateteres
A utilização de cateter venoso central (CVC), na abordagem terapêutica , é cada vez mais uma realidade nos serviços de saúde. O cateter venoso central deixou de ser apenas utilizado nas unidades de cuidados intensivos, serviços de hemodiálise e unidades de oncologia, passando a ser uma constante nos diferentes contextos clínicos.

A disponibilidade de novos tipos de cateteres, cada vez mais seguros e com melhores condições técnicas de promover o acesso venoso e também a administração de medicações para o monitoramento da dor, exigem que a enfermagem esteja preparada para sua correta manipulação, assegurando um cuidado com qualidade e livre de riscos.

Os cuidados de enfermagem à pessoa com um cateter venoso central exigem conhecimentos teórico-práticos indispensáveis para a correta manipulação e manutenção desse dispositivo, evitando complicações que poderão ser de enorme gravidade, retardando a recuperação ou mesmo, elevando as taxas de óbito, tanto de adultos como crianças.

A formação de coágulos e consequente obstrução do cateter surge como uma das complicações mais frequentes. A infecção é outro fator de risco de extrema importância, que precisa ser gerenciado de forma competente, para que sua utlização seja segura e propricie os benefícios que se esperam com sua utilização.

Felizmente, tais complicações podem ser prevenidas, a maioria das vezes, com a implementação de protocolos adequados, o uso de correta heparinização dos lúmens do cateter venoso central e um conjunto de medidas para prevenção da infecção.

O acesso venoso central é cada vez mais uma importante tecnologia aplicada aos cuidados às pessoas com doenças crônicas, em cirurgias de grande e médio porte e em situações de urgência, tanto em hospitais, ambulatórios e serviços de emergências.

Esse tipo de acesso inclui uma grande variedade de cateteres e reservatórios, assumindo a designação de central porque o extremo distal do cateter se posiciona na veia cava superior ou inferior.

À utilização do cateter venoso central estão associadas várias complicações que podem ser prevenidas ou minimizadas com a implementação de protocolos e cuidados específicos para inserção, manipulação e manutenção do mesmo. Estes cuidados devem ser pensados e adaptados aos diferentes contextos da prática, de forma a uniformizar procedimentos e a garantir a qualidade e segurança dos cuidados.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.

Enfermagem