CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Programa nacional de imunização

Artigo por Colunista Portal - Educação - quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Tamanho do texto: A A

O desenvolvimento do Programa é orientado por normas técnicas
O desenvolvimento do Programa é orientado por normas técnicas
O Programa Nacional de Imunização ou simplesmente PNI foi criado em 1973, com o objetivo de normatizar a imunização em nível nacional, assim, contribuindo para o controle ou erradicação das doenças infectocontagiosas e imunopreveníveis, como exemplo: a poliomielite (paralisia infantil), sarampo, difteria, tétano, coqueluche, tuberculose e outras.

O desenvolvimento do Programa é orientado por normas técnicas estabelecidas nacionalmente, no que se refere à conservação, manipulação, transporte e à aplicação dos imunobiológicos, assim como aos aspectos de programação e avaliação.

Essas normas são estabelecidas com a participação dos órgãos responsáveis pela operacionalização e de outras instituições, assegurando, dessa forma, a sua aceitação e uniformidade de uso em todo o país (Manual de Rede de Frio, 2007).

O Programa Nacional de Imunização faz parte da Organização Mundial da Saúde, mas recebe ajuda técnica e financeira da UNICEF, do Rotary Club e também das Nações Unidas.

O Programa Nacional de Imunização tem por objetivo conscientizar a população da importância da vacinação, e imunizar a maioria delas, por este motivo, existem metas para as ações como:

- Para o grupo de menores de cinco anos, meta de vacinar 90% da população com as vacinas da tríplice viral, tetravalente e BCG, contra a poliomielite a meta é de 95%, principalmente nos dias nacionais de vacinação, onde também é completado o esquema daqueles que, por diferentes motivos, estão com a vacinação atrasada.
- Para o grupo de mulheres em idade fértil, de 12 a 49 anos, a meta é vacinar todas as mulheres contra o tétano e síndrome da rubéola congênita, evitando assim contaminações durante a gestação.
- Para o grupo de adolescentes, existem as ações de controle da febre amarela, do tétano e raiva humana e o controle da hepatite B.

Segundo o Manual de Rede de Frio (MS, 2007), as ações de vacinação para as crianças têm contribuído para reduzir a morbimortalidade por doenças imunopreveníveis, melhorando a qualidade de vida, principalmente nos menores de cinco anos.

Acompanhando as transformações demográficas e epidemiológicas registradas no país, o Programa Nacional de Imunizações incorpora mais um desafio neste alvorecer de século: ampliar as ações de vacinação para a população de 60 anos ou mais, e 100% das populações indígenas brasileiras. E para esta faixa etária: dT (difteria e tétano), contra influenza (contra gripe) e pneumococo.

A Unidade de Saúde é responsável por desenvolver o Programa Nacional de Imunização em nível local por intermédio das várias estratégias para imunizar a população. Podemos citar: rotinas, intensificações, campanhas e bloqueios. (FIGUEIREDO, 2005).
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.