artigo

sexta-feira, 28 de setembro de 2012 - 14:46

Tamanho do texto: A A

Cuidados de Enfermagem ao Paciente com Tétano

por: Alisson Daniel Fernandes da Silva

Imunização evita a doença
Imunização evita a doença
O tétano é uma doença infecciosa, causada pela ação da exotoxina do Clostridium tetani sobre as células motoras do sistema nervoso e é caracterizada pela hipertonia da musculatura estriada, generalizada ou não.

Existem condições específicas para que ocorra a instalação do tétano nos humanos, dentre as quais podemos destacar: uma lesão na pele ou em mucosas, penetração no organismo de esporos do Clostridium tetani e a falta ou pouca luminosidade.

Os sintomas característicos de uma infecção por tétano são as contrações musculares na face que levam à rigidez da mandíbula, agitação intensa, disfagia, irritabilidade, cefaleia, hipertermia, calafrios, rigidez do pescoço, membros superiores e inferiores, convulsões, espasmos musculares generalizados.

A prevenção é realizada com a imunização ativa e passiva, educação sanitária, principalmente na prevenção do tétano umbilical do neonato.

A enfermagem tem um papel importante na assistência ao paciente com tétano. Podemos destacar as seguintes ações:

- Manter jejum absoluto e não instalar SNG nas primeiras 48 horas de internação;
- Fazer sondagem vesical permanente se o paciente não conseguir urinar espontaneamente;
- Suprimir qualquer tipo de estímulo, seja ele sonoro ou luminoso;
- Realizar as atividades durante o período máximo de sedação do paciente;
- Manter o paciente em quarto especial onde possa evitar estímulos de qualquer espécie;
- Manter vigilância rigorosa para controle da frequência das contraturas;
- Manter punção venosa para casos de emergências;
- Caso seja tétano neonatal, proteger o olho com gazes umedecidas em soro fisiológico para evitar lesão na córnea;
- Realização da higiene nasotraqueobrônquica por aspiração;
- Realização da higiene corporal;
- Mudança de decúbito;
- Controle de diurese.

É importante que o enfermeiro converse com os familiares explicando como será o período que o paciente permanecerá na unidade hospitalar para tratamento, pois sempre ouvimos falar no tétano, mas as pessoas não tem noção da gravidade do quadro clínico do paciente.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Alisson Daniel Fernandes da Silva

Enfermeiro formado na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Especialista em Farmacologia pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Pós-graduando em Enfermagem do Trabalho e em Educação a Distância - UCDB. Atualmente Tutor do Portal Educação

Enfermagem