CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Composto de marketing digital

Artigo por Colunista Portal - Educação - segunda-feira, 8 de abril de 2013

Tamanho do texto: A A

Quando falamos de marketing digital estamos falando sobre pessoas
Quando falamos de marketing digital estamos falando sobre pessoas
P’s do Marketing Digital
Antes de começar a falar sobre marketing digital, é importante lembrar o marketing dito tradicional. A palavra inglesa marketing, que é a junção de market (mercado) com o sufixo ing (correspondente ao gerúndio), na tradução para língua portuguesa ficaria em algo como “mercadando”, que nem traduz e nem explora todas as atribuições do que é o marketing.

Essas atribuições tiveram uma evolução histórica, que pode ser confirmada pelas definições dadas por autores ao longo do tempo.

A evolução das definições de Marketing

American Marketing Association (1960) - O desempenho das atividades de negócio que dirigem o fluxo de bens e serviços do produtor ao consumidor ou utilizador. (apud COBRA, 1997, p.27)

Ohio State University (1965) - O processo na sociedade pelo qual a estrutura da demanda para bens econômicos e serviços é antecipada ou abrangida e satisfeita através da concepção, promoção, troca e distribuição física de bens e serviços. (apud COBRA, 1997, p. 27)

Kotler e Sidney Levy (1969) - O conceito de marketing deveria abranger também as instituições não lucrativas. (apud COBRA, 1997, p. 27)

William Lazer (1969) -
O marketing deveria reconhecer as dimensões societais, isto é, levar em conta as mudanças verificadas nas relações sociais. (apud COBRA, 1997, p. 27)

David Luck (1969) -
O marketing deve limitar-se às atividades que resultam em transações de mercado. (apud COBRA, 1997, p. 27).

Kotler e Gerald Zaltman (1969)
- “A criação, implementação e controle de programas calculados para influenciar a aceitabilidade das ideias sociais e envolvendo considerações de planejamento de produto, preço, comunicação, distribuição e pesquisa de marketing.” (apud COBRA, 1997, p.27)

Peter Druker (1973) - Pode-se considerar que sempre haverá a necessidade de vender, mas o objetivo do marketing é tornar supérfluo o esforço da venda. O objetivo do marketing é conhecer e entender o cliente tão bem que o produto ou o serviço seja adequado a ele e se venda sozinho. Idealmente, o marketing deveria resultar em um cliente disposto a comprar. A única coisa necessária, então, seria tornar o produto disponível (apud KOTLER, 2006, p.4)

Robert Bartls (1974) - “Se o marketing é para ser olhado como abrangendo as atividades econômicas e não econômicas, talvez o marketing como foi originalmente concebido, reapareça em breve com outro nome.” (apud COBRA, 1997, p.27)

Robert Hass (1978) - “É o processo de descoberta e interpretação das necessidades e desejos do consumidor para as especificações de produto e serviço, criar a demanda para esses produtos e serviços, e continuar a expandir essa demanda.” (apud COBRA, 1997, p.27)

Robert Hass (1978) - “Marketing industrial – é o processo de descoberta e interpretação das necessidades, desejos e expectativas do consumidor industrial e das exigências para as especificações do produto e serviço e continuar através de efetiva promoção, distribuição, assistência pós-venda a convencer mais e mais clientes a usarem e a continuarem usando esses produtos e serviços.” (apud COBRA, 1997, p.27)

Philip Kotler (1997) - “É o processo de planejamento e execução desde a concepção, preço, promoção e distribuição de ideias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam os objetivos de pessoas e de organizações.” (apud COBRA, 1997, p.27)

Alexandre Luzzi Las Casas (2004) - “[...] a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem-estar da sociedade” (LAS CASAS, 2004, p.26).

American Marketing Association (2006) - [...] uma função organizacional e um conjunto de processos que envolvem a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes, bem como a administração do relacionamento com eles, de modo que beneficie a organização e seu público interessado. (apud KOTLER, 2006, p.4)

American Marketing Association (2007) - “[...] é uma atividade - das instituições envolvidas - e processos para criar, comunicar e entregar ofertas que tenham valor para clientes, parceiros e sociedade em geral”.

Essa evolução das definições reflete as mudanças que ocorreram na sociedade e, pegando a última definição da American Marketing Association – organização que é referência em marketing no mundo – é importante destacar alguns fatores:

1) marketing deixa de ser uma atividade da instituição e passa a ser das instituições envolvidas, incluindo fornecedores, parceiros, intermediários, etc., todos alinhados e com o mesmo propósito;

2) não basta apenas criar, mas comunicar e entregar; e

3) deve ser algo que tenha valor não apenas para o cliente, mas para a sociedade.

Analisando a evolução histórica do marketing e olhando para o cotidiano, pode-se entender a necessidade de uma nova maneira de lidar com o composto de marketing tradicional.

Atualmente nem todos os processos de produção são lineares como antigamente – quando eram claros o começo, o meio e o fim do processo, existe grande quantidade de informações em circulação e o fluxo dessas informações acontece de maneira muito rápida e nem sempre ordenada. O desenvolvimento de um produto ou serviço hoje começa no consumidor, conforme afirma Vaz (2010, p. 166).

Há pouco tempo às empresas já perceberam que o ciclo do produto deve começar no consumidor. O marketing pesquisa o que o consumidor quer e projeta produtos especificamente para tal mercado. Porém, esse não é o último passo do ciclo do produto nem dos processos das empresas do século XXI.

Com o crescimento do acesso à internet em todo o mundo e também no Brasil nos últimos anos, esse consumidor, que é o início do desenvolvimento de um produto ou serviço, está on line. Ao contrário dos meios tradicionais – como TV e jornal - a internet é interativa e deu o poder ao consumidor, e ele vem interferindo de maneira incisiva nos processos de criação, comunicação e entrega de produtos e serviços nas empresas.

Quando falamos de marketing digital estamos falando sobre pessoas, suas histórias e seus desejos. Estamos falando sobre relacionamentos e necessidades a serem atendidas. Assim, a visão que mais se aproxima da realidade é baseada no comportamento do consumidor e considera que o Internauta é o mesmo consumidor, o mesmo ser humano, que também assiste à televisão, lê jornais ou revistas, ouve rádio, trabalha, passeia e vive como um cidadão comum. (TORRES, 2009, p. 66)

Desse processo de interação, que é muitas vezes circular, é que surge o conceito dos 8 Pês do marketing digital, como afirma VAZ (2010, p.167): “Os 8 Pês do marketing digital constituem um processo cíclico que se renova a cada período, fazendo com que a empresa tenha um resultado cada vez melhor a cada dia”.

Compõem os oito P´s: a Pesquisa, Projeto, Produção, Publicação, Promoção, Propagação, Personalização e Precisão.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.