CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Execução do Projeto Político Pedagógico

Artigo por Colunista Portal - Educação - quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Tamanho do texto: A A

Ouça representantes de alunos, pais, funcionários e professores
Ouça representantes de alunos, pais, funcionários e professores
Antes de qualquer coisa, deve-se inteirar bem da clientela: os alunos, a comunidade, qual interesse social predominante, enfim, é preciso ter concretamente traçado o perfil de quem a escola vai atender. Para isso deve-se recorrer aos paradigmas mantenedores dos fins educacionais.

As três perguntas fundamentais:

- Ensinar o quê?
- A quem?
- Como?

O primeiro passo é ouvir: representantes de alunos, pais, funcionários e professores. Numa avaliação do ano anterior: O que deu certo? O que não deu? Em seguida, todos falam de suas expectativas para o futuro da escola. Depois disso, o diretor se torna um articulador de consensos. Ele se reúne com o coordenador pedagógico e os professores para traçar objetivos e definir as estratégias para alcançá-los.

Na hora de executar essas ações, ele precisa administrar diferenças individuais. Para isso, é importante conhecer cada pessoa envolvida no processo para que todos se engajem na busca de um ideal comum: fazer com que todos os alunos aprendam numa escola de qualidade. É importante envolver a comunidade.

A escola deve se aproximar da comunidade para conhecer e entender a realidade que cerca o aluno, falar a mesma linguagem para que o Projeto politico pedagógico (PPP) abarque a proposta lançada em 1996, pela Comissão Internacional de Educação da UNESCO, segundo a qual todo educador deve estimular os estudantes a aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver.

É importante ter em mente as características da realidade na qual a escola está inserida, sua faixa etária específica. Pode-se em seguida cumprir os seguintes itens:

• Conhecimento da realidade: Antes de se fazer qualquer plano, é preciso saber para quem se vai fazê-lo, quais são as possibilidades de dar certo e as condições que se tem para executá-lo. Não adianta fazer planejamento bonito, bem feito, mas que não pode ser executado - o que não traz resultados proveitosos. É preciso conhecer a realidade do aluno, da comunidade, da escola; suas condições financeiras para comprar livros e materiais escolares. Com estes dados, levanta-se o que os alunos já sabem o que falta saber e o que são capazes de aprender. De posse desses dados, faz-se a análise do que precisa ser feito e do que pode ser feito pala ajudar a escola e o aluno a crescer, em termos de aprendizagem e educação, e do que ainda é necessário para melhorar a sua vida e a sociedade. Só depois desse conhecimento e dessa análise que se pode passar para as etapas seguintes, que é a elaboração do plano;

• Selecionar as temáticas, levando em conta a urgência, a compreensão, o interesse e a importância do assunto para a escola;

• Estabelecer os objetivos que se deseja alcançar. Os objetivos são os componentes mais importantes. Sem eles, não se saberia para onde ir, e o que fazer. Os objetivos são as mudanças que se pretende que aconteçam nos alunos após a execução do projeto;

• Distribuir e dosar os assuntos em diferentes reuniões;

• Adaptar o projeto às condições da escola para atacar possíveis problemas e entraves;

• Estabelecer critérios de avaliação, para verificar se os objetivos estão sendo cumpridos.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.