CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Orientação Educacional: Os Desafios Da Indisciplina Em Sala De Aula

Artigo por Edvanir da Silva Costa - domingo, 30 de dezembro de 2012

Tamanho do texto: A A

1 Introdução
A presente pesquisa tem como propósito apresentar algumas reflexões sobre o papel do Orientador Educacional frente às questões relacionadas à indisciplina escolar. Em vista, que atualmente os cursos de Pedagogia têm formado profissionais para exercer funções diversificadas inerente à gestão educacional, sendo assim apresentada a administração escolar, a orientação educacional e supervisão de ensino.

A escolha da temática deu-se por meio de estudos e observações no meio escolar, nascendo então à profícua vontade de conhecer a função deste profissional no ambiente educacional e seu papel frente à indisciplina no cotidiano escolar. Para tanto, justifica-se este trabalho, com o respaldo de que a orientação educacional tem sido considerada, como uma das principais e simbólicas funções exercidas pelo pedagogo, pois é entendida como um resgate dos valores humanos, culturais e psicossociais do aluno em seu processo de ensino-aprendizagem. Assim como, estabelecer o elo entre a tríade família, escola e aluno. O objetivo geral da pesquisa foi estudar o papel do orientador educacional na escola atual, como meio de intervir na indisciplina em sala de aula, e de forma específica: apontar a função do orientador no ambiente escolar, e identificar os desafios que estes profissionais do ensino, encontram para identificar e intervir nos problemas indisciplinares ocorrido no espaço escolar. Dessa forma, o problema que deu origem ao artigo em destaque foi: Como o Orientador Educacional pode desenvolver ações preventivas para solucionar a questão da indisciplina em sala de aula?

Sendo assim realizada uma análise precisa do referencial teórico composto por Campanhole (2000), Chalita (2005), Grinspun (1992; 2001), Tiba (1996), Vasconcellos (1995) entre outros, para alicerçar e fundamentar este trabalho. De posse deste referencial, elaborou-se o desenvolvimento do trabalho, por meio de uma abordagem exploratória - qualitativo.

2 A Função Do Orientador Educacional No Ambiente Escolar
Contempla-se, que a esfera do campo da orientação educacional faz análise, planejamento, assim como propicia um ambiente harmônico e seguro ao educando, edificando a aprendizagem significativa e satisfatória do aluno. Sendo assim, atribuído a função do Orientador Educacional, ao de promover o ensino aprendizado dos alunos que apresentem dificuldades para aprender, com base em suas necessidades psicossociais, físicas e etc.

Grinspun (2001, p. 22) considera: Conta-se que a Orientação Educacional teve sua sucessão de crescimento ligada à da Psicologia, que vem desde o século XVI e por meio de atividades psicotécnicas para traçar suas capacidades relacionadas a atividades específicas. Entretanto, o seu aperfeiçoamento no contexto educacional dá-se sob o prisma do retrocesso da Psicologia. Sendo neste caso, preciso que seja considerado que a 'noção' é proposta pela educação como necessária propondo assim a orientação do individuo.

Grinspun (1992, p. 33) incita: Vislumbra-se que a Orientação Educacional, na década de 1920 no Brasil se constituía de atividades vulgarizadas e solitárias, sendo assim, ligada a uma moral religiosa. E com o desenvolvimento urbano-industrial no período de 1920, teve a precisão de formar estes profissionais, para uma realidade ainda desconhecida, contando com isso a implementação do ensino profissionalizante. Como visto o atendimento ao aluno com problema em seu aprendizado e a sua família, é o foco para a Orientação Educacional, desde década passada.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Edvanir da Silva Costa

Professora do Ensino Fundamental e Superior, Formação em Pedagogia pela Faculdade Guaraí-FAG. Tutora em Livre-docência, Especialista em Língua Brasileira de Sinais pela Faculdade Darwin de Brasilia, Especialista em Gestão, Orientação e Supervisão Escolar pela FAPAF. MBA em Pedagogia e Psicopedagogia Institucional pela ESAB.