artigo

quinta-feira, 21 de junho de 2012 - 13:31

Tamanho do texto: A A

Redes sociais e a "gestão da bondade"

por: Márcio Aparecido Nogueira Viana

Tecnologia
Tecnologia
Com uma boa estratégia de uso das redes sociais, as empresas podem ganhar muito no que diz respeito ao trabalho em equipe. Isso se transforma em vantagem competitiva e se traduz em lucro. Até aí, aparentemente, não há nenhuma novidade. Este assunto já vem há muito tempo sendo discutido em artigos e publicações especializadas. Mas e quando concorrentes têm a possibilidade de se unirem em nome de um bem maior, sem que por conta disso vejam seus lucros se reduzirem? Acredite, esta é uma tendência cada vez mais forte e irreversível. A razão disso, além do “grito de socorro” que o planeta vem dando através de catástrofes naturais, é o fato de que, mais do que nunca, com a facilidade de acesso dos consumidores à comunicação nas redes, as empresas têm se preocupado em incluir ações de responsabilidade social em seu planejamento. E como “à mulher de César não basta ser honesta, ela tem de parecer honesta”, estas ações precisam ser divulgadas e reforçadas em campanhas que agreguem valor à marca.

Mas o que as redes sociais têm a ver com isso? Tudo! Primeiro: redes sociais são um conjunto de atores e suas conexões. Veja que aqui, estamos falando de redes sociais como grupos independentes do meio, como estas conexões se estabelecem. No caso de redes sociais na Internet, o que conta é a velocidade como estas conexões se formam. Desse modo, é mais fácil conseguir engajamento e colaboração em torno de uma causa, e as marcas que se prestam a lutar em nome de um ideal funcionam como uma “alavanca” para pessoas de todas as partes do mundo que compartilham do mesmo propósito.

O consultor de marcas Simon Mainwaring, em artigo que fará parte de seu livro “We First: How Brands and Consumers Use Social Media to Build a Better World” (o artigo está disponível – em inglês), diz que o mundo corporativo está cheio de propriedade intelectual, e muito conhecimento permanece inacessível nos centros de pesquisa, quando poderia estar disponível para resolver problemas mundiais. Heiko Spitzeck, em artigo intitulado “As redes sociais podem ajudar a salvar o mundo”, publicado na revista Dom n.º 13, cita alguns exemplos de atitudes tomadas por organizações através das redes de relacionamento para promover a colaboração em torno de causas sociais. Entre elas, vale destacar a ação do The Guardian, que criou uma rede chamada Green Ad Network, que não usa perfis de usuários, mas sim uma reunião de páginas criadas e mantidas por pequenas empresas, levantando temas em torno da sustentabilidade, tecnologias verdes, etc. isso atraiu leitores preocupados com as questões ambientais, e ainda beneficiou as micros e pequenas empresas criadoras do conteúdo publicado na rede.

Estes exemplos mostram o que pode ser feito com ajuda das redes e da colaboração, mas é importante que se perceba que embora estas atitudes possam gerar lucro, o foco principal aqui é a vontade de construir um mundo melhor e reverter situações que podem levar ao caos este planeta que já conta com sete bilhões de habitantes. Se por um lado, caminhamos à beira do abismo, vale lembrar que, por outro lado, um passo atrás é possível. Numa canção em que diz que o Brasil é o país do futuro, Renato Russo pergunta “e você, de que lado está?”.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Márcio Aparecido Nogueira Viana

Márcio Viana, jornalista. Atua como Gestor de Documentação e Arquivo. Especialista em Gerência de Sistemas e Serviços de Informação e Gestão de Documentos de Arquivo pela FESP-SP, e em Gestão Estratégica do Conhecimento e da Inovação pelo Senac/SP. Participante de grupos de estudo sobre Redes Sociais e Gestão do Conhecimento.

Comunicação Social

ASSINE E RECEBA GRÁTIS

e-Book
livro digital

Grátis um e-book mensalmente. Assine já e receba o e-book: INGLÊS PARA
NEGÓCIOS

Top10
Artigos

Receba e leia os principais artigos sobre diversos
temas. São mais de 30 áreas!

Palestras online

Assista palestras ao vivo toda quinta-feira e veja as dezenas de palestras gravadas em várias áreas

Lições de inglês

Atividades totalmente interativas para você exercitar o seu
inglês!

e-Revista
revista digital

Todo trimestre, uma nova edição sobre os principais temas de cada área. Boa leitura!