artigo

sexta-feira, 27 de abril de 2012 - 22:12

Tamanho do texto: A A

Arraias de Água Doce: Potamotrygon (Myliobatiformes: Potamotrygonidade)

por: Wagner M. S. Sampaio

Arraias
Arraias
Os peixes da ordem Rajiformes apresentam em geral o corpo fortemente achatado, em forma de disco. As nadadeiras peitorais são expandidas ao redor de todo o corpo unindo à da abertura das brânquias.

Apresentam esqueletos cartilaginosos, ainda é característico a ausência da nadadeira anal e nadadeira caudal longa e normalmente com espinhos. A boca e abertura branquial localizadas na porção ventral, enquanto os olhos e espiráculos na porção superior da cabeça (Santos et al., 2004).

Fecundação normalmente vivípara (Araújo et al., 2005). A ordem apresenta quatro subordens, 14 família, 62 gêneros e 456 espécies sendo grande maioria marinha. Um pequeno grupo de rajiformes de água doce sul Americano são representados pela subordem Myliobatiformes, nas quais se encontram famosas arraias de água doce todas pertencentes à família Potamotrygonidae (Santos et al., 2004).

A família Potamotrygonidae ocorre estritamente em águas continentais da América do Sul, na maioria dos sistemas de rios, com exceção daqueles que drenam para o Pacífico; na bacia do rio São Francisco; nos rios costeiros que drenam a partir da Mata Atlântica; na bacia do Paraná superior (colonizado após represamento das Sete Quedas) e rios ao sul do rio da Prata, Argentina (Rosa, 1985).

Os Potamotrygonideos apresentam cerca de 20 espécies distribuídas em três gêneros (Paratrygon, Plesiotrygon e Potamotrigon) e atingem maior diversidade na região Amazônica (Carvalho et al., 2003). Vivem comumente no fundo arenoso ou lamacento muitas vezes parcialmente encobertas, embora raro, podem ser vistas na superfície na época reprodutiva, são preferencialmente carnívoras (peixes e crustáceos).

As raias têm uma grande participação na pesca comercial, principalmente a baixo de Tucurui, na região sob influência das marés, onde alcançam cerca de 2,5% da produção pesqueira. O gênero Potamotrygon é representado por 16 espécies. No entanto algumas espécies com ampla distribuição geográfica podem ser subdivididas em novas espécies (Potamotrygon motoro e P. orbignyi).

O trabalho de taxonomia da família é ainda bastante incompleto, com ao menos cinco novas espécies descobertas aguardando descrição formal (Carvalho et al., 2003). Esse trabalho é dificultado, pois muitas espécies da família são pobremente descritas; além da grande variação intraespecífica de morfométricos e no padrão de coloração.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Wagner M. S. Sampaio

Biólogo pela Universidade do Estado de Mato Grosso, Mestre em Biologia Animal pela Universidade Federal de Viçosa. Experiência em Genética, Zoologia e Ecologia de peixes. Experiência em estudos e relatórios de impactos ambientais. Experiência em levantamento e resgate de fauna. Atualmente é pesquisador colaborador do laboratório de Sistemática Molecular UFV e diretor da empresa IPEFAN.

Biologia