Incidência especial especifica para quadril

06/06/2013 23:30:00


O trabalho apresenta o protocolo da radiologia em incidências especiais e convencionais, demonstrando a propedêutica radiológica básica de cada método, revisando os aspectos mais relevantes na avaliação do quadril. Tem a finalidade de esclarecer o motivo de uma pouca quantidade de realização da incidência de lequesne, apontando assim o conhecimento dos profissionais desta área a este respeito, além de tirar duvidas sobre anatomia, diagnóstico e vantagens sobre a apresentação do conceito. Para substituição da mesma, são apresentadas no desenvolver do trabalho, incidências que podem substituir a técnica, quando não há colaboração do paciente devido ao seu estado; além de curiosidades sobre a principal incidência estudada, que é conhecida como Lequesne ou Falso Perfil.

 

O acetábulo é uma estrutura óssea encontrada no quadril, sendo ela hemisférica e ovalada, que se articula com a cabeça do fêmur; apresentando as seguintes estruturas: fossa do acetábulo, incisura do acetábulo, limbo e face semilunar. É formada pela fusão de estruturas ou partes de ossos, como do ísquio, o ílio e do púbis que também são ossos do quadril, sendo o ílio a maior das três divisões, tendo sua localização superior para formação da área do acetábulo; sendo o acetábulo então uma cavidade profunda em forma de taça, a qual recebe a cabeça do fêmur formando a articulação do quadril. 

Eles contem cartilagens que se ossificam com o passar dos anos, como por exemplo, a cartilagem trirradiada, que forma o fundo do acetábulo, na face semilunar. Mas também contem cartilagens que servem como proteção, ou seja, tem função de amortecer impactos, como a cartilagem articular, que reveste o acetábulo e diminui o atrito com a cabeça do fêmur, protegendo tanto ossos, como ligamentos. 


SÍNDROME DO IMPACTO

O conceito de síndrome de impacto, também conhecida como síndrome do impacto femoro acetabular – IFA - foi escrita e estudada por Reinold Ganz na Suíça, sendo ele o responsável pela descoberta das alterações morfológicas do quadril mais a cinética para a explicação da ocorrência da osteoartrose.


É a colisão entre a junção cervico-cefálica e o acetábulo de um quadril morfologicamente alterado; ou de um quadril normal, mais em condições supra fisiológicas, como exercícios de impacto. 

O quadril é uma articulação tipo bola e soquete, na qual a cabeça do fêmur se relaciona com a cavidade da bacia, o acetábulo, que tem forma côncava. Quando há deformação ou alteração da cabeça do fêmur ou do acetábulo, haverá impacto entre essas partes, provocando destruição das cartilagens levando o individuo a sofrer da síndrome do impacto, assim como quem pratica exercícios impactantes.

No inicio de 2001, pesquisadores definiram dois tipos de alterações genéticas que predispõe essa síndrome, sendo mais comum o impacto tipo PINCER ser freqüente em mulheres, onde há uma retroversão do acetábulo, que se posiciona virado pra trás e não para frente. Logo em homens a síndrome é mais comum de acordo com defeito na conformação da cabeça femoral que, em vez de esférica, apresenta se mais ovalada, limitando movimentos, causando o impacto tipo CAM ou também conhecido como Camming, que é o impacto no bordo do encaixe da cabeça com o acetábulo que reduz amplitude dos movimentos.


Clinicamente há dor na articulação do quadril, na virilha e face interna da coxa, que pode se estender até o joelho. Muitas vezes a síndrome do impacto é confundida com distensões musculares.

O diagnóstico por imagem é obtido com a realização das assim chamadas radiografias de AP (ântero-posterior), onde se procura verificar alterações no formato da cabeça femoral e o sinal do cross-over, característico da retroversão acetabular. As incidências em perfil de Lesquene e Ducroquet são utilizadas na busca de alterações no formato da cabeça. 


A retroversão acetabular e a síndrome do tipo PINCER e CAM, quando diagnosticadas em pessoas que praticam exercícios de impacto, também há indicação cirúrgica. É feita uma remoção cirúrgica das deformidades que provocam o impacto. Essa retirada pode ser feita por artroscopia ou por cirurgia aberta, dependendo do tipo e localização da lesão.


INCIDÊNCIA DE LEQUESNE

1 – FINALIDADE DA INCIDÊNCIA:


Primeiramente, esta incidência é realizada com carga, para que se tenha um melhor resultado na visualização de todo o segmento da articulação coxofemoral, e através desta técnica se visualiza a circunferência da cabeça do fêmur juntamente com a fossa do acetábulo, distribuindo os pontos de precisão, mostrando a anatomia corretamente.

Esta incidência é capaz de mostrar, quando realizada corretamente, o pinçado medial e Antero superior da articulação coxofemoral, se tornando importante assim para avaliação da coxartrose e displasia acetabular.

2 – POSICIONAMENTO E TÉCNICA

Nesta incidência o paciente é posicionado e ortostase, com seu dorso inclinado 65° anteriormente em ralação ao chassi do filme, ambos os membros inferiores em rotação externa, sendo o acometido (membro mais distante do chassi) perpendicular em relação ao chassi e o contralateral paralelo ao ecran.

3 – VANTAGENS DA INCIDÊNCIA

Esta incidência possibilita a visualização abrangente da área afetada e evita radiação dispersa, ou seja, há uma diminuição de radiação no paciente, pois é utilizado para este tipo de procedimento o cilindro de extensão, para visualização mais próxima da área afetada, alem de visualizar todo o segmento da articulação coxofemoral, com rapidez e precisão.

4 – DESVANTAGENS DA INCIDÊNCIA


Esta incidência em especifico pode vir a acarretar outros problemas específicos alem daquele que o paciente já apresentar, como por exemplo, o rompimento de outros ligamentos; devido à presença de um esforço maior para realização do exame, pois este é feito com carga podendo chegar a agravar lesões.

5 – CURIOSIDADES DA INCIDÊNCIA

Também pode ser chamada e mais comumente conhecida por – FALSO PERFIL – devido a esta incidência corresponder ao perfil da cabeça e do fêmur proximal e não do acetábulo. E quando é bem executada, da se a notação de observar entre as cabeças femorais a distancia correspondente ao o diâmetro de uma cabeça femoral. É pedida com frequência para pacientes jovens com queixa de dores da região do quadril durante realização de exercícios físicos.


INCIDÊNCIAS SUBSTITUIVEIS

1 - INCIDÊNCIA DE DUCROQUET

1.1 FINALIDADE DA INCIDÊNCIA


Esta incidência serve para visualização da região antero superior da cabeça colo femoral, visualiza se também o teto acetabular e pode identificar a presença de corpo estranho intra articular. Com seus movimentos para realização da radiografia, pode ser mais viável fazer esta incidência em pacientes com dores mais intensas e que não conseguem realizar a incidência de lequesne.

1.2 POSIÇÃO E TÉCNICA

A técnica utilizada para radiografar a posição de Ducroquet, é feita com o paciente em decúbito dorsal, flexionando o ângulo e o joelho em um ângulo de 90°, sendo o fêmur a ser radiografado abduzido em 45° para distancia do acetábulo. Esta incidência pode ajudar a visualizar estruturas que na incidência de Lequesne também visualiza, mas de forma diferente, pois se o paciente se encontra incapacitado de realizar uma, faz a outra.

CONCLUSÃO

Após estudos, é visto que ao decorrer dos anos foi aprofundada a visão e aprendizado sobre anatomia do quadril; os profissionais passaram a conhecer a propedêutica por imagem desta articulação e estudar sobre incidências especifica. Foi apresentado no trabalho incidências especiais, que ao longo do tempo foram se aperfeiçoando e garantindo melhor analise e compreensão, ajudando tanto profissionais da área da saúde quanto os próprios pacientes. A incidência que foi focada no trabalho chamada de Lequesne ou Falso Perfil teve o papel de demonstração de capacidade técnica profissional, citando as varias maneiras de se fazer a imagem com o objetivo de mostrar quais profissionais da área a conhecem e a realizam, devido ao seu grau de dificuldade de realização.

Autor: Piterson Lucas Magalhães Souza






Fonte: Portal Educação - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado


Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.